Muito se tem falado nos últimos tempos no quão apelativo Portugal se tem tornado para os turistas que visitam o nosso país e o contributo que isso tem tido para a economia nacional. Este setor especificamente contribuiu para cerca de 9% do PIB, sendo a segunda maior percentagem da Europa.

Mas nem só de Turismo é feito Portugal. No mercado de trabalho temos vindo a registar um fenómeno interessante. Cada vez mais empresas estão a instalar-se e a querer investir no nosso país. Empresas multinacionais (e.g., Vestas, Panalpina, Banco Natixis, Google) são um exemplo claro da aposta em Portugal seja através do desenvolvimento de Shared Services Center ou da transferência dos seus headquarters para território nacional.

Mas afinal o que faz estas empresas olharem para o nosso país e para os nossos profissionais?

Portugal tem vindo a ganhar destaque por diversas razões. Em primeiro lugar pela enorme capacidade de adaptação dos profissionais portugueses a diferentes realidades e ambientes, aliado à facilidade para dominar outros idiomas. De acordo com o Eurostat verifica-se que mais de 85% dos estudantes portugueses aprendem dois ou mais idiomas. Num estudo da EF Corporate Solutions, Portugal encontra-se situado no 8º lugar relativamente aos conhecimentos de Inglês em ambiente corporativo ficando à frente de países como a Alemanha, a Espanha ou a Itália (gráfico 1).

Em segundo lugar pelo elevado empreendedorismo que se tem vindo a registar no nosso país e para o qual muito têm contribuído as startups com sucesso a nível nacional e também internacional e que têm sido como referia o Ministro da Economia em entrevista ao Diário de Notícias a “melhor bandeira do que está a ser feito em Portugal e também de uma nova imagem do país.”

Em terceiro e último lugar e o fator mais importante, o facto de temos profissionais portugueses de muita qualidade nas mais distintas áreas.

Estes dados apontam para uma tendência positiva e que deverá manter-se para o próximo ano. Um estudo desenvolvido pela Mercer | Jason Associates onde foram analisadas 397 empresas no mercado português revelou que apesar do ligeiro decréscimo face a 2018 cerca de 48% das empresas prevê recrutar mais em 2019.  Apesar da descida (em 2018 cerca de 53%) a tendência de recrutamento mantém-se elevada e a aposta no mercado português deverá contribuir para tal.

 

 


Leonor Vilhena
HR Consultant
Banking & Insurance – Wyser Portugal