Após a saída de Portugal de uma situação financeira menos estável, começamos a assistir à retoma da confiança nos mercados e na economia por parte das empresas. Nos últimos dois anos vimos as empresas a voltarem a períodos de crescimento, consequência também da recuperação económica nacional com alguns índices importantes. Entre estes a taxa de desemprego que atualmente se cifra em mínimos de 2002, estando nos 6,8%, segundo valores de Julho de 2018 do INE. Comparativamente ao mês anterior existiram mais 1900 pessoas a passarem para uma situação de emprego.

Através destes números compreendemos o momento atual de mercado e o impacto que estas alterações têm tido nas empresas. Não só enquanto empregador e empresa que recruta, mas também nos candidatos, quer sejam candidatos à procura ativa de um novo projeto ou candidatos numa ótica passiva de mercado.

Não é portanto também de estranhar que nesta fase exista um nivelamento salarial de forma quase transversal ao mercado. Muitos candidatos têm a expectativa de auferir valores consideravelmente superiores aos que atualmente auferem, sobretudo por nesta fase do mercado existir mais oferta (de oportunidades profissionais) do que procura: o que faz nivelar por cima os valores que estes profissionais procuram.

Estes são os dois grandes fatores que determinam as tendências atuais em termos de mercado. Se por um lado se verificam as consequências de uma conjuntura económica mais favorável, por outro lado também assistimos a uma maior disponibilidade do lado dos candidatos para ouvir uma nova proposta de projeto, sobretudo quando os valores o justificarem, sendo nesta fase de mercado esse um dos principais drivers de mudança.

Contudo esta predisposição pode ser mais visível em candidatos cuja experiência profissional seja mais reduzida e tipicamente em início de carreira. Com o intuito de crescer e evoluir salarial e profissionalmente no menor tempo possível uma mudança de projeto profissional pode representar um incremento de até 45% no salário bruto de um profissional, segundo um artigo do Jornal Económico . Já em profissionais com níveis de senioridade bastante superiores e portanto noutra fase de carreira assistimos ao inverso. O foco para uma mudança profissional anda em torno do projeto apresentado e não depende tanto de questões financeiras.

Nesta fase, um dos principais desafios de quem recruta está centralizado em torno deste tópico. Se há dois anos atrás existia uma maior disponibilidade de candidatos e uma sua fidelização nos processos em que se envolviam, nesta fase já não será tanto assim, dado que existe um número consideravelmente superior de empresas numa fase de recrutamento ativa e com propostas que vão cada vez mais ao encontro das expectativas elevadas dos candidatos, tentando manter-se competitivas face ao mercado.

Em sentido contrário, os candidatos, que acabam por ser mais abordados pelo mercado, veem a tomada de decisão dificultada e acabam por se ver entre propostas. Em alguns casos, para tentar assegurar os melhores profissionais quase que se gera um leilão. Leilão que desvirtua o mercado de trabalho e faz com que os profissionais disponíveis nem sempre sejam aqueles que as empresas preferencialmente escolheriam, não só por os preferidos optarem por ingressar em outros projetos, mas também por não ser possível em alguns casos à empresa que recruta acompanhar os valores salariais pretendidos.

Numa fase de mercado como esta, só o passar do tempo dirá se a lógica de crescimento se manterá ou se por outro lado será travada com as empresas a nivelar por seu turno aquilo que para si é o seu standard em termos de oferta.  

Este tem sido também um desafio para a Wyser no apoio aos seus parceiros. Encontrar os melhores talentos quando as questões salariais não acompanham pode tornar-se complexo. Contudo é também aqui que podemos ser uma mais valia, apoiando os nossos parceiros na compreensão das dinâmicas do mercado e posicionamentos dos candidatos, o que tem impacto na expansão dos seus negócios.

 

Gonçalo Matos
HR Consultant
Finance & Accounting – Wyser Portugal